Edgic do 3º episódio de Survivor Ghost Island


Esse é o segundo edgic de Survivor: Ghost Island, onde iremos analisar a edição e tentar prever o destino desses participantes. Se você não sabe exatamente o que é edgic ou como ele funciona, clique aqui e veja nosso post introdutório sobre o assunto.


Introdução

Em primeiro lugar eu gostaria de dizer que fiquei muito feliz com os comentários que recebi, seja aqui no site, ou no Facebook, ou até em meu Messenger ou WhatsApp. O feedback de vocês foi muito positivo, e isso me deixa mais engajado para fazer as análises para vocês.

Nessa quarta-feira (07/03) tivemos uma mistura de tribos. Com ela novos personagens e plots surgiram, alguns outros continuaram e até tivemos o desfecho de um plot apresentado na última análise.

Sem mais delongas vamos para a análise da semana:


Esquema de Cores

Esquema de cores popularizado pelo InsideSurvivor que será utilizado em nossas análises.

Edgic Survivor Ghost Island after episode 3

Como no primeiro, irei fazer as análises por tribos para mantermos os assuntos dos participantes interligados.

Nova tribo Malolo

A dinâmica dessa tribo foi mais simples que a da nova Naviti, uma vez que a as divisões tribais originais se mantiveram e a edição reforçou bastante isso com confessionários de ambos os lados e com o conflito de opiniões acerca do acampamento original da Malolo.

Vamos analisar a perspectiva que o episódio nos mostrou de cada elemento dessa nova tribo.

Bradley Kleihege

Depois de uma premiere silenciosa e no limite entre o UTR e o INV, Bradley, apesar de não ter recebido confessionários, esteve levemente presente nesse episódio.

Infelizmente, ainda que a edição tenha aumentado sua visibilidade, Bradley acabou aparecendo de maneira bem negativa, principalmente por conta das críticas que Brendan e Stephanie direcionaram a ele e aos outros Navitis Originais.

Estes comentários prejudicam mais o Bradley pois ambos foram dados após ele fazer diversas reclamações sobre o acampamento. Isso é reforçado quando Brendan diz em confessionário: “Bradley, especificamente, reclama de absolutamente tudo.”.

Dito isso, optei por classificá-lo como UTRN, o que possivelmente enterrou por completo as chances dele de vencer, visto que não vimos quase nada da visão de jogo dele, e muito menos conteúdo pessoal.

Brendan Shapiro

Brendan manteve o mesmo grau de personagem e visibilidade da premiere. Nada muito complexo, mas também não passa despercebido.

Toda sua atuação se resumiu em mostrar descontentamento com o comportamento dos antigos Navitis, e tentar se salvar encontrando um ídolo.

É importante frisar que Brendan sempre aparece na perspectiva representativa da Malolo “Kumbaya”, haja vista que ele quem apresentou o acampamento, além de ser o primeiro a demonstrar descontentamento com os Navitis originais desdenhando do acampamento deles.

Apesar dele ter feito declarações mais voltadas para a situação DELE no momento, como “não foi uma boa mistura para mim”, não considerei complexo o suficiente para CP, portanto optei por MOR.

Desse modo, acredito que Brendan segue como um personagem representativo para a Malolo original, contudo é preciso que conteúdo pessoal seja apresentado à edição dele para que suas chances de vitória aumentem.

Por hora, nada muito comprometedor que tire o Brendan de ser um possível contender.

Stephanie Johnson

Se o Brendan é a representação da Malolo original como tribo, Stephanie continua dominando o conteúdo estratégico da mesma.

Ao ser anunciada a swap, Stephanie se mostrou bastante resiliente afirmando “eu sei que não ficaria no poder o jogo todo, é preciso quebrar as ondas, tem uma onda vindo, você precisa surfar”.

Essa flexibilidade com certeza é um ponto positivo para o edgic dela, pois ao se encontrar oficialmente em minoria na Nova Malolo, Stephanie visivelmente tomou as rédeas da situação e foi mostrada pela edição, tanto tentando puxar a Kellyn para o lado dos Malolos originais, quanto liderando a caça pelo ídolo.

Toda representação estratégica marca mais um CP no edgic da Stephanie, uma vez que vimos toda sua análise da situação e quais foram as medidas que foram propostas por ela.

Infelizmente existem algumas red flags na sua edição, começando pela eliminação da Morgan nesse episódio, pois se voltarmos ao episódio passado, Stephanie diz que saber que a legacy está com a Morgan era algo que ela poderia usar como vantagem para seu jogo.

Com Morgan eliminada, ter deixado Jacob ser eliminado anulou quase que por completa a informação valiosa que Stephanie tinha sobre a existência da legacy. Provavelmente Stephanie será assombrada por ter permitido a eliminação do Jacob.

Além disso, ainda não vimos conteúdo pessoal muito desenvolvido sobre ela, já que todos seus confessionários são estratégicos e, na maioria dos casos, situacionais. CPs situacionais demais costumam não ir muito longe.

Se Stephanie não se retratar quanto à legacy e não der uma esfriada na edição, suas chances de vencer serão muito comprometidas.

Jenna Bowman

Assim como na segunda metade da premiere, Jenna apareceu somente em função da Stephanie.

Todo o conteúdo que ela deu no episódio serviu apenas como reforço aos pontos explanados pela Stephanie no decorrer do episódio.

Em seu único confessionário do episódio, Jenna diz bem sucintamente que por estar em minoria, precisaria encontrar rachaduras ou procurar um ídolo para poderem balancear os números.

Apenas uma narração dos fatos, nada muito complexo para CP, nem muito raso e genérico para UTR, logo optei por MOR.

Ainda não vimos quase nada na visão da Jenna, isso já a deixa bem longe de ser um contender, mas ainda não a impossibilita de ser uma personagem relevante para a temporada, principalmente se a Stephanie for eliminada antes dela.

Sebastian Noel

Voltando para o lado dos antigos Navitis, tivemos o Sebastian com uma edição bem singela e quase invisível se não fosse seu único confessionário nesse episódio.

Sua aparição resumiu-se em apontar a vantagem numérica dos cinco Navitis e mostrar que nada poderia ser melhor, sendo assim, UTR.

Até então tivemos uma breve apresentação do Sebastian, apesar de ser linkada ao Chris. Todavia, não vimos mais nada aos olhos dele, apenas sabemos que ele é o mais próximo ao Chris.

Desse modo, tendo a acreditar que Sebastian, mesmo sendo visivelmente extrovertido e brincalhão, assumirá mais uma postura de coadjuvante do que de protagonista. Nem preciso dizer que isso já praticamente o tira da disputa pela vitória.

Kellyn Bechtold

Kellyn dominou praticamente todo o conteúdo dos Navitis originais. Foi ela quem apontou a vantagem 5-4 e que tinha o desejo de manter os 5 Navitis e ir eliminando os Malolos, além de se mostrar desapontada com o acampamento dessa tribo.

Há argumentos para MOR e CP para Kellyn, porém como foi a “porta voz” da Naviti original e vimos conteúdo estratégico aos olhos DELA e não somente voltado a antiga tribo dela, optei por CP.

Existem pequenos pontos de negatividade na edição dela, como um dos confessionários dela que praticamente desdenha de todo o acampamento da Malolo. Entretanto, como nenhum SPV foi dirigido diretamente para Kellyn, resolvi poupá-la da tonalidade negativa.

Isso pode ter sido uma forma de blindar a Kellyn dessa negatividade. Porém, existem outros pontos que podem comprometer suas chances de vitória.

O principal foi manter a divisão 5-4 e falar para Stephanie e Jenna que nenhum Naviti original mudaria de lado no momento. Isso me faz pensar em duas hipóteses:

  1. Ao falar isso, Kellyn instigou, sem saber, os 4 Malolos originais a procurarem o ídolo, o que aconteceu de fato, e acabar sendo idolada por ser vista como a líder desse grupo de Navitis.
  2. Foreshadow de que, na verdade, algum dos Navitis originais mudará de lado.

Acredito mais na primeira hipótese por conta do primeiro confessionário da Kellyn que falava sobre seu medo de tomar decisões erradas, fechar a porta na cara da minoria pode ter sido uma delas.

Além disso, a cena dela demonstrando segurança e poder junto a Desiree e Bradley reforça essa hipótese e ainda cria um possível arco de queda.

Portanto, se a Nova Malolo for ao conselho e algum Naviti ou a própria Kellyn flipar, podemos fincar uma red flag em sua edição pela contradição e erro de visão.

Michael Yerger

O novinho da temporada teve um excelente episódio, com uma quantidade de conteúdo pessoal e estratégico mesclado em apenas uma cena.

Ao encontrar o ídolo, temos um momento bem positivo do Michael em que ele faz alusão ao seu momento de fã quando viu Survivor: China e torcia por James, se motivando a mudar o curso que esse ídolo tomou em sua temporada original.

Portanto Michael acaba sendo avaliado nesse episódio como CPP, o que o coloca a frente no grupo de contenders, haja vista que recebemos, principalmente, conteúdo pessoal retratado positivamente e fazendo alusão ao tema da edição.

A positividade dessa cena pode indicar que Michael realmente use esse ídolo corretamente no futuro, o que reforçaria ainda mais suas chances de vencer.

Chelsea Townsend

Chelsea permaneceu sendo a menos visível de todos os participantes nesse episódio, recebendo seu terceiro INV seguido.

Não há nada o que comentar sobre Chelsea, ainda não sabemos quais são suas estratégias, qual sua história. É até difícil compreendermos que ela está com os Navitis originais porque ela nem é citada pelos outros membros da tribo.

Chelsea provavelmente não será importante para essa temporada e só deve aparecer no episódio de seu boot ou quando ele estiver se aproximando, já que dificilmente ela pode assumir um papel relevante, muito menos de winner.

Desiree Afuye

Desiree, apesar de ter um dos primeiros confessionários da temporada, acabou desaparecendo quase por completo após a primeira prova de recompensa.

Igualmente a Chelsea, não vimos nada da Desiree nesse episódio, apenas uma linha de fala direcionada à Kellyn e Bradley afirmando que eles estavam bem posicionados naquela tribo. Só que foi tão de relance que não dá para considerar UTR, portanto INV.

Como Desiree teve um pequeno spotlight em que a edição até blindou ela de negatividade, pode ser que ela tenha uma sequência de CPs à frente ao estilo Ciera em Cambodia ou Andrea em Game Changers. Mas como vencedora, praticamente descartada.


Nova tribo Naviti

A nova Naviti também é composta por 4 Malolos originais (Donathan, James, Laurel e Libby) e 5 Navitis originais (Angela, Chris, Domenick, Morgan e Wendell).

No entanto, diferente da nova Malolo, apesar dos 4 Malolos originais se manterem unidos, toda a dinâmica da tribo se baseou na rivalidade entre Domenick e Chris e como os números se rearranjaram perante a isso. Deixando assim, a dinâmica dessa tribo mais complexa que a da oposta.

Partiremos então para a análise individual de cada membro dessa nova tribo.

Domenick Abbate

Assim como na premiere dupla, Domenick novamente sugou boa parte do airtime e se fez bastante presente em todo o episódio.

Toda sua narrativa do episódio foi baseada em eliminar o Chris e assegurar números para isso, conforme o primeiro confessionário dele após anunciada a swap: “É fundamental para mim que eu crie relações com todos de fora (Malolo), para tirar o Chris”.

No entanto, houveram traços de negatividade bem explícitos em sua edição, principalmente em um SPV negativo dado pelo James ao compará-lo com Russell Hantz ao se referir ao fato do próprio Domenick mentir e tentar manipular todos os Malolos na cara dura.

Esse episódio também apresentou algumas red flags bastante graves para o edgic do Domenick e que provavelmente já o compromete bastante nas chances de se tornar um top contender.

No episódio passado vemos que Domenick fez o ídolo falso para tentar camuflar a sua posse do verdadeiro e ainda tentar ganhar a confiança de Chris, o que aconteceu? Todos especulam que Domenick possua o ídolo verdadeiro e Chris continua panfletando a eliminação do Domenick, porque não comprou essa história.

Outra red flag grave foi a chamada de boot errada. Domenick frisou que Chris seria eliminado, e como ele foi para a Ghost Island, o alvo se tornou o braço direito dele: Angela. Novamente, Domenick estava errado e quem perdeu números foi justamente ele.

Sendo assim, acho justo classificá-lo como CPN nesse episódio, e, apesar do grande airtime, suas chances de vencer estão bastante reduzidas, porém não impossíveis.

Chris Noble

A edição do Chris não chegou a ser muito diferente da do Domenick em relação ao enredo, pois boa parte dela foi focada em sua disputa por números contra o seu rival.

Chris, assim como Domenick, foi alvejado por SPVs negativos da Libby e até da sua aliada principal no momento, Angela.

Todavia, diferente do seu rival, existiram também pontos positivos em sua atuação no episódio, haja vista que ao ser enviado para a Ghost Island, vimos bastante conteúdo pessoal relacionado a sua mãe, e que ele usou o tempo da Ghost Island para poder se livrar das más energias.

Esse momento de positividade do Chris lhe conferiu a avaliação CPM. A arrogância e o autoritarismo dele foram bastante explícitos no episódio, mas pela fala dele de se livrar das más energias, considero que isso acabou amenizando bastante o dano que esses SPVs negativos poderiam dar a ele.

Ainda não considero o Chris um top contender, porém, comparando ao Domenick, Chris está um pouco acima nas chances entrar no páreo para a disputa do título de winner da temporada.

Angela Perkins

Foi a maior surpresa desse episódio, uma vez que quando uma pessoa passa alguns episódios sendo irrelevante e em determinado episódio ela aparece bastante, geralmente é o boot do episódio, vide Lucy em Millennials vs Gen X e Roark em Heroes vs Healers vs Hustlers.

Recebemos uma modesta introdução sobre quem é Angela e como está o jogo na perspectiva dela. Ouvimos bastante de seus planos, seus ideais e sua personalidade, o que já a coloca como CP.

No entanto, Angela recebeu tanto tons positivos e negativos nesse episódio, o que a coloca como CPM.

A positividade acontece ao ser anunciada a swap e Angela rapidamente fica emocionada e diz que seria muito duro ela se separar da tribo. Como ela recebe bastante apoio naquele momento e a edição também reforça isso com uma música de fundo emocionante, considero isso positivo.

A negatividade está presente quando Angela recebe um duro SPV negativo do Wendell quando ele afirma que jamais tiraria pedras pela Angela pois a palavra dela não era tão confiável quanto a dos demais Navitis. Novamente a edição deu mais uma força e portou a Angela como a delusional da história.

Apesar desse ponto negativo, Angela recebeu uma edição que demonstrou bastante coerência nas atitudes dela, uma vez que ela mostrou ciência do ídolo do Domenick, mostrou-se insatisfeita com o approach do Chris e no fim das contas manteve-se leal aos Navitis originais, apesar do embate entre os 2 rapazes e dos demais Navitis se voltarem contra ela.

De qualquer forma, Angela foi introduzida ao show, e a maneira com a qual ela se portar no próximo episódio vai definir se ela apenas apareceu por ser um alvo, ou se veremos mais dela em sua perspectiva de militar veterana. Ficaremos de olho.

James Lim

Apesar de ter sido relativamente presente na premiere dupla, teve sua introdução oficial ao jogo nos bombardeando de conteúdo estratégico e de leitura correta da dinâmica da nova Naviti.

James começou o episódio afirmando corretamente que, apesar de se sentir traído por ter sido alvo de alguns votos no conselho anterior, acredita que, de certa forma, mereceu ter sido o alvo secundário. Além disso, acrescentou que, como americano criado em casa de coreanos, tomaria as rédeas da situação e assumiria o controle do seu destino.

Isso de fato ocorreu, uma vez que James assumiu o controle dos 4 Malolos Originais na Nova Naviti. Esteve presente em ambas as conversas do Chris e Domenick, leu corretamente que o último tinha ou poderia ter um ídolo verdadeiro, e encaminhou os votos para o boot do episódio.

Dito isso, considerei James CP. Existiram leves pontos de positividade, porém não acresci o P justamente pela edição não ter focado bastante no James tomando as rédeas da situação.

Assim como Angela, não é possível afirmar ainda muita coisa dele, pois tanto pode ter aparecido realmente de maneira introdutória para crescer aos poucos e se tornar um contender, como também pode ter aparecido para justificar um eventual boot próximo dele por ser uma ameaça estratégica.

De qualquer forma, por não conter nenhuma incoerência ou red flag nesse episódio, caso o James avance mais no jogo, pode ser um grande candidato a vitória. O manteremos em observação.

Donathan Hurley

Depois de uma premiere bem forte e positiva, a edição do Donathan deu uma esfriada, o que é muito bom, haja vista que isso pode indicar longevidade no jogo.

Não vimos muito dele no episódio. Apenas se fez presente retornando da Ghost Island e dando um confessionário elogiando o acampamento e a praia da Naviti, ou seja, simples e genérico, portanto UTR.

Não foi apresentado nenhuma visão dessa mistura de tribos na perspectiva do Donathan, o que reforça ainda mais o argumento de que terá um arco de jornada com foco na superação de seus limites.

Ou seja, apesar de passar longe de uma edição de winner, foi um bom episódio para o Donathan por indicar que ele poderá ir bem longe no jogo.

Laurel Johnson

Terceiro conselho que a Laurel está visivelmente presente e envolvida, mas ao mesmo tempo a edição claramente não quer a incluir.

O que isso quer dizer? Se analisarmos segundo a segundo o episódio, podemos notar que Laurel está sim centrada no jogo e provavelmente tem seus próprios planos e ideias.

Um exemplo disso foi que Laurel evitou que Wendell fosse o alvo dos 4 Navitis Originais. Todavia não vimos uma explicação complexa disso, pois ela diz apenas que “precisamos do Wendell”. Nem a própria câmera focou direito na Laurel neste momento.

Além disso, nenhum conteúdo foi passado por ela de maneira tão explícita que a isentasse da avaliação de INV nesse episódio.

Sendo assim, Laurel perde praticamente todas as chances de ser uma participante que vá longe ou que seja importante no desenrolar dessa temporada e que só deve aparecer mais no episódio que for eliminada.

Wendell Holland

Teve uma presença razoável no episódio e um conteúdo estratégico bem modesto, porém não complexo o suficiente para CP, então optei por classificá-lo como MOR.

Apareceu como o precursor da ideia de colocar todos os votos na Angela para eliminar o braço direito do Chris, e de certa forma, a edição deu suporte a isso.

Isso também valida a lealdade que o Wendell falou que queria provar ao Domenick na premiere para ser recompensado em longo prazo. E isso é bastante positivo porque mostra uma certa coerência e linearidade em sua storyline.

Houve também, uma certa blindagem ao Wendell quando ele chamou o boot incorretamente (Angela). Uma vez que, naquele momento, a edição visivelmente deu razão ao Wendell e tratou a Angela como a delusional da história.

Por essa edição linear e bastante coerente, Wendell também se mantém no páreo dos top contenders dessa temporada.

Morgan Ricke

Em sua breve participação na temporada, roubou cena em alguns plots e protagonizou o seu próprio, apesar de não ter sido tão explícito na edição em si.

Nesse episódio em específico, esteve bem presente e apresentou conteúdo estratégico similar ao do Wendell, nada muito complexo então também optei por MOR.

A positividade se fez presente na relação dela com a Libby. Por vários momentos, a edição ressaltou que Morgan era a pessoa mais próxima e confiável que Libby teve no jogo e que votar nela seria extremamente difícil por conta disso.

Além disso, Morgan foi extremamente assertiva ao ler que o correto seria manter o 5-4, porém isso seria inviável uma vez que Chris e Domenick estavam se caçando e que ela teria que se posicionar e procurar números.

A maior red flag presente na edição dela foi justamente afirmar que Libby estava 100% alinhada com ela, e no fim, não estava.

Com relação ao plot da boca grande da Morgan, acabou que a edição não escancarou tanto, mas a divisão 4-3-1 só foi viável, porque a própria Morgan expôs que os 5 Navitis Originais não estavam tão unidos quanto pareciam para a Libby.

No conselho tribal tivemos mais outra cena da Morgan expondo desnecessariamente sua preferência pela Libby (da mesma forma que ela fez na swap), além de também incitar que todos ali podiam ser atores e atrizes por estarem mentindo sobre os planos do conselho.

Talvez nada disso tenha sido o motivo principal da saída dela oficialmente, mas essas cenas não foram postas por acaso, a edição deu a entender que a maior inimiga da Morgan, no fim de tudo, foi ela mesma.

Libby Vincek

Sem dúvidas foi a estrela do episódio, tendo uma baita introdução no jogo e um excelente empurrão no que diz respeito à relevância ou longevidade no jogo.

Vimos bastante conteúdo estratégico da própria, e algumas pitadas de conteúdo pessoal, como o fato dela e Morgan serem católicas. Essa combinação já a enquadra como CP.

Esteve relativamente mais presente que o James no âmbito estratégico dos 4 Malolos Originais, haja vista que foi ela quem identificou ambas as rachaduras nos Navitis e se colocou em uma posição de swing vote.

O tom positivo em sua avaliação está linkado à sua relação com a Morgan, uma vez que ela foi retratada como uma pessoa confiável, de boa energia e de fácil convivência.

Libby poderia ter sido taxada como negativa quando Morgan diz “não confiem na loira fofinha” antes de deixar a área do conselho. No entanto, pelo contexto senti que Libby foi blindada disso justamente por afirmar que “aparento ser burra, mas não sou burra de fato”.

Em síntese, Libby foi apresentada como uma personagem que é subestimada por todos, e, no fim das contas, é muito mais do que os outros percebem dela. Ou seja, acabou ratificando a tonalidade positiva dela.

Por fim, do grupo de participantes que passaram a premiere no background e foram apresentados nesse episódio, Libby teve a melhor edição. No entanto, não dá para cravar 100% que ela irá longe ou será bastante relevante, mas as chances de ela deixar impacto são bem maiores que as de James e Angela, por exemplo.


Comparação geral dos participantes:

  • Top contenders: Michael, Wendell, Brendan.

  • Causarão impacto, independente de vencer ou ir longe: Stephanie, Domenick, Chris, Donathan.

  • Em observação: Jenna, Angela, James, Kellyn, Sebastian, Libby.

  • Dificilmente serão relevantes: Laurel, Chelsea, Bradley, Desiree.

Plots para ficarmos de olho:

  • Donathan e a questão de superar limites.

  • A eliminação do Jacob irá interferir negativamente no jogo da Stephanie?

  • Tribo Malolo Original sempre sendo frisada como “the greatest tribe” e isso sendo ratificado em ambas as novas tribos com os ex membros da Malolo sendo apontados como os corretos de ambas as dinâmicas das tribos.

  • Kellyn e seu medo de tomar decisões erradas: será que fechar a porta na cara dos 4 Malolos foi seu maior erro e que poderá causar sua eliminação ou de um aliado próximo?

  • Domenick vs Chris: Ambos os lados saíram derrotados dessa batalha. Mais um indício de que Malolo é a “the greatest tribe”?

  • Wendell e sua lealdade a longo prazo com o Domenick: Foreshadow de que Domenick ao ser eliminado dará a legacy ao Wendell ou que o ídolo do Domenick salve o Wendell de ser eliminado.

  • Angela e seu espírito de veterana militar.

Gostaram? Se você foi guerreiro e chegou até o final, comenta com #litudinho para eu saber quanto somos.


%d blogueiros gostam disto: